Lucio Yanel é considerado um dos fundadores do que se pode considerar uma “escola do violão gaúcho”. Com seu trabalho, ampliou-se a difusão de alguns gêneros latino-americanos como a chacarera, chamamé, rasguido doble e a zamba no sul do país. As premiações por sua trajetória são muitas, destacando-se: Prêmio Açorianos 2001 de Melhor Disco Instrumental e Melhor Instrumentista Regional; Prêmio Açorianos 2004 como Melhor Disco Regional com o Acuarela del Sul; Prêmio Açorianos 2011 como Melhor Instrumentista. No ano de 2005, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, juntamente com a Associação dos Municípios e o Banrisul, concederam-lhe o Destaque Cultural do Mercosul, sendo entregue, em solenidade oficial, a comenda Negrinho do Pastoreio. Como violonista, realizou apresentações por diversos países como Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile, França, Rússia, Suíça, Espanha e Estados Unidos. Radicado no Brasil há 38 anos, Lucio Yanel é considerado um dos alicerces do violão solista na música regional sulina e o violonista com maior produção na história do violão gaúcho. Além de se dedicar à música regional gaúcha, o violonista Lucio Yanel também conheceu e atuou, em diversas ocasiões, ao lado de diversos nomes do cenário musical argentino como Mercedes Sosa, Atahualpa Yupanqui e Antônio Tarrago Ross. Apresentou-se ainda em inúmeros festivais e gravou com renomados artistas do Rio Grande do Sul como Gilberto Monteiro, Jayme Caetano Braum, Renato Borguetti, Gaúcho da Fronteira, Joca Martins, Luiz Marenco, Cesar Oliveria e Rogério Melo, e Luiz Carlos Borges.

No ano de 2016, recebeu Menção Especial no Prêmio Açorianos de Música 2015/2016, pelos relevantes serviços prestados à música gaúcha e a forte influência gerada na vida e carreira de muitos outros instrumentistas ao longo de sua exitosa carreira. Ainda em 2016, Lucio Yanel estreou a obra Acurela del Sur com o Grupo das Cordas da Orquestra Sinfônica da UCS, tendo, desde então, apresentado por Caxias do Sul e região. No ano de 2017, recebeu a Comenda do 12° BPM – GRAU BRONZE pelos relevantes serviços prestados a Organização Polícia Militar.

Discografia

Seus álbuns como violonista solo são:

  • La del Sentimiento (1983),
  • Guitarra Pampeana (1986),
  • Aunque Vengan Degollando (1997),
  • Acuarela del Sur (2003),
  • Acuarela del Sur II (2006),
  • Misterios del Chamame (2009),
  • Folclore Argentino (2011)
  • Dois Tempos (2001), em parceria com seu discípulo Yamandú Costa.

Ao lado de diversos artistas participou como violonista em mais de uma centena de discos e DVDs.